Imagem capa - Do jeito que tinha que ser - parte 2 por CAROLINE ROSA
Nascimento

Do jeito que tinha que ser - parte 2

No dia em que contei para vocês sobre a gestação da Gi do Jesse, (link aqui) , comentei sobre as coisas acontecerem ao seu tempo e que tudo tem um propósito para isso... depois que passa o tempo é que passamos a compreender o porquê das curvas no caminho.

São 18 anos de cumplicidade e  desses, mais de 8 anos de tentativas... vocês conseguem imaginar o quanto eles queriam muito ser pais? O quanto esse presente de Deus foi esperado?


Quarenta semanas de gestação e o ultrassom que já apontava que a Aurora passaria dos 4kg, a Gi chegou no hospital com a bolsa rota e mantendo o seu 1 cm de dilatação. Foi corajosa e esperou, esperou para dar tempo ao seu colo uterino, caminhou, fez exercícios na bola de pilates, e embrora o esforço tenha sido grande o colo não dilatou nessas 12 horas de espera. 

Os momentos que antecederam a ida para o centro cirúrgico foram de muita emoção... como acalmar o coração frente ao fim de uma espera tão longa? E nada do alguém dissesse poderia fazê-los imaginar e explosão de amor que estavam prestes a viver...


E nasceu a Aurora! Pesando 4.350g, chorando alto, com olhos amendoados e muito cabelo! 


Ah! Eu vi a explosão de sentimentos... confesso que também senti e chorei junto, tentei chorar baixinho, as lágrimas transbordaram. 


Eu vi um pai e uma mãe se embriagarem de amor e o choro deles foi de gratidão e de alívio, foi um choro de festa, lágrimas de fé...


Deus é bom o tempo todo... em permitir o sopro da vida! E eu sou grata à Ele por ter me dado essa profissão de presente!


Gi e Jesse, agora dêem o play no Pearl Jam e somente respirem... e mais uma vez obrigada por me escolherem para registrar esse dia tão magnífico!